Estilo de vida · Moda

Alta-costura: uma marca

Todo estudante de Moda (bem informado) já teve tremeliques ao se deparar com  uma propaganda de algum atelier da sua cidade com as palavras “alta-costura”. Nunca vi nenhum falar diretamente para essa pessoas que o uso dessa marca é errado, mas que dá vontade, dá.

Pensando nisso, vou resumir nessa postagem o que de fato é alta-costura.

Alta-costura (do francês haute couture) refere-se à criação em escala artesanal de modelos exclusivos feitos sob medida. Quem define o que é e o que não é Alta-Costura é a Câmara Sindical da Alta-Costura Parisiense, que revê o grupo de marcas anualmente. O termo é legalmente protegido. 

Há regras rígidas, como ter um ateliê em Paris, empregar ao menos uma equipe em tempo integral de 15 pessoas, fazer as peças sob encomenda com ao menos uma prova de roupa e apresentar suas coleções publicamente duas vezes por ano, com ao menos 35 looks para dia e noite. Toda roupa deve ser feita com materiais de primeiríssima qualidade, o endereço da maison – que deve ter pelo menos 5 andares e um espaço para desfiles – deve estar entre as três avenidas mais importantes de Paris (Champs Elysées, Montaigne e Georges V), ter um perfume próprio e atingir um valor mínimo pré estabelecido de rendimento financeiro anual.

Existem os membros permanentes, que são grifes fixas e que atendem todas as exigências da Câmara Sindical (Chanel, Jean Paul Gaultier, Giambattista Valli e Christian Dior, por exemplo). Os membros correspondentes, maisons que fazem alta costura, mas não têm a sua sede principal em Paris (como Valetino, Ellie Saab, Giorgio Armani Prive Viktor e Rolf). E ainda os membros convidados, categoria criada em 1998 para dar espaço a novas marcas do segmento de altíssimo luxo (como Zuhair Murad, Ralph e Russo). Nesta categoria já tivemos o brasileiro Gustavo Lins (único brasileiro até o momento).

Os membros do seleto grupo de pouco mais de 4000 compradores não são chamados de clientes, mas sim de colecionadores. Mesmo com preços exorbitantes, podendo chegar a cifras milionárias, o que mantém financeiramente uma maison ativa são perfumes, bolsas, entre outros produtos.

Resumindo: aquele atelier da sua cidade que usa não só no Facebook, mas nos cartões de visita, a palavra alta-costura, está usando uma marca que não é dele. Países como a Itália e os Estados Unidos já adotaram seus próprios termos para trabalhos tão específicos como de roupas sob-medida.

Para complementar, fique com fotos da Semana de Alta-Costura 2018:

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s